Estar offline é o novo luxo

Tenho um amigo que é veementemente contra redes sociais. Acha que são uma perda de tempo e que a sua inutilidade se propaga a outros aspectos da nossa vida.

Eu e ele já conversámos várias vezes sobre este assunto e, como eu gosto de redes sociais, tentei ser prático e mostrar-lhe as vantagens do Facebook. Não consegui – todos os pontos que utilizava eram destruídos de forma eloquente. E isso pôs-me a pensar.

Foi aí que decidi fazer um detox de redes sociais.

Neste momento, nunca na vida me passaria pela cabeça acabar com o Facebook ou com o Instagram – no fim do dia, e no limite, essas são as minhas ferramentas de trabalho.

Contudo, a verdade é esta: por vezes, temos que parar para respirar.

Esse meu amigo que vos falei no início do texto compara o Facebook ao Hi5, a única rede social que remotamente se lembra. Mas não é igual. É substancialmente pior. E explico-vos porquê.

Actualmente, os nossos News Feeds são uma loucura. Ainda que o algoritmo do Facebook filtre coisas, a verdade é que seguimos demasiadas pessoas, absorvemos demasiados assuntos e partilhamos demasiada informação. É uma merda, e contra mim falo, porque já dei à Internet muitas gigas dos meus conteúdos.

Pensem na quantidade de tempo que gastam a ver Stories dos vossos amigos, a assistir a Lives dos vossos bloggers e a olhar para selfies dos vossos engates. Ao fim de uma hora, quanta informação útil conseguem processar e extrair? Muito pouca. Sim, as redes sociais são um espelho da necessidade de pertença dos seres humanos, assim como são um espelho da curiosidade natural que estes possuem. Vieram melhorar o fluxo de comunicação, mas vieram, também, piorar as relações interpessoais.

Como ter silêncio

Neste meu detox digital, apaguei a aplicação do Facebook do telemóvel. Ao início, achei estranho, sobretudo ao acordar, onde o phubbing era maior do que a minha fome para tomar o pequeno-almoço; depois, fui adaptando a minha rotina ao facto de não estar constantemente no feed do Facebook. Resultado? Ando a ver mais séries e a ler mais.

No trabalho, aumentei bastante a minha produtividade substituindo o News Feed por frases inspiradoras, pelo que já não tenho ruído digital quando utilizo a minha ferramenta de trabalho. Até ver, ainda não apareceu nenhuma frase do Pedro Chagas Freitas nem do Gustavo Santos, por isso estou a achar a experiência positiva.

Por agora – e atenção que apenas passou uma semana – sinto-me mais leve, sem necessidade de consumir conteúdo estúpido e apenas estar conectado, através do Messenger, aos amigos mais próximos.

O próximo passo é apagar o Instagram do telemóvel, apesar de ser a única rede social que me motiva visitar. A componente visual é inspiradora, mas lá está, tenho lá demasiadas coisas a acontecer. Tenho que filtrar.

Agora que chegaram aqui, partilhem este texto. Quero likes, claro que quero likes. Mas prometo que não os venho verificar de cinco em cinco segundos.

Offline and out.

Written by O Adiantado Mental